Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

27 de mar de 2011

Quaresma e Campanha da Fraternidade

Como cristãos somos convocados pela Igreja a nos preparar para a Páscoa, nestes quarentas dias da quaresma. Este é um tempo fecundo de bênçãos e graças para quem leva a sério a sua espiritualidade evangélica e assume caminhar com Cristo no exigente processo de conversão, aceitando mudar de atitudes para estar mais sintonizado com a Palavra de Deus.
A Igreja do Brasil, durante a quaresma, realiza a já conhecida Campanha da Fraternidade. Neste ano o tema escolhido é: “Fraternidade e a Vida no Planeta” e o lema: “A criação geme em dores de parto” (Rm 8,22). “A implantação do sistema industrial de produção de bens e o consumo compulsivo, inclusive de produtos supérfluos, intensificou a extração de materiais da natureza e ocasionou profundas transformações na face do planeta” (Manual da CF, p. 21). O Planeta Terra é um organismo vivo, que reage a todos os acontecimentos e mudanças nele operadas pelo homem e por outros seres. Ultimamente a preocupação em relação à situação da nossa casa comum tem sido grande! O aquecimento global é um fato que tem conseqüências: as grandes tempestades, temperaturas acima do normal no verão e muito abaixo da média no inverso. Estes fenômenos exigirão adaptações muito rápidas das comunidades humanas e de todo ser vivo. Tais exigências têm provocado tantos questionamentos e reflexões. Entre eles: será que não podemos mudar nossas atitudes para amenizar os efeitos de tal aquecimento?
As reflexões da Campanha da Fraternidade vão nesta linha. Enquanto os cientistas têm diversas opiniões sobre o efeito estufa e o aquecimento do planeta, nós acreditamos que podemos fazer muito para amenizar os efeitos do aquecimento e até revertê-lo. Se uma boa parte das mudanças na Terra tem sido ocasionada pela ação do homem, então ele mesmo pode mudar de atitudes e comportamentos para garantir um processo harmonioso que garanta a continuidade da vida no planeta, a sua sustentabilidade.
Este conceito de sustentabilidade tem se tornado um novo paradigma civilizacional, ou seja, uma referência para analisar o desenvolvimento das nações em relação à conservação das condições de vida no planeta. “A noção de sustentabilidade pretende harmonizar três vertentes: economia, meio ambiente e bem estar social. Pretende prestar-se como indicadora de um “tipo de desenvolvimento que nos permite viver nos limites suportáveis para a Terra, que são a disponibilidade de recursos naturais e os limites de absorção de resíduos e poluição, mas também o tipo de desenvolvimento que torne possível a redução da pobreza” (Manual da CF, p.50-51). Este é o grande desafio: encontrar o justo equilíbrio entre desenvolvimento econômico, quando este privilegia o lucro e não leva em consideração as outras realidades como o meio ambiente e as condições sociais. Pensar no meio ambiente isolado da ecologia humana é um escândalo. Muitas vezes as leis que defendem o meio ambiente são tão rigorosas, que confundem o sentido delas, uma vez que exclui o ser humano. Nesta visão, as condições sociais devem privilegiar a vida humana e aqui enfrentamos outro grave problema. O ser humano é tratado muitas vezes como se não tivesse valor nenhum ou valesse menos que um animal ou uma planta. A relação de valor neste âmbito está completamente confusa. Por exemplo: alguém vai preso, sem fiança, por maltratar animais e, por isto, deve pagar multas altas. Mas, pouca gente é responsabilizada pelas crianças jogadas nas ruas, prostituídas, utilizadas em trabalho forçado; mesmo existindo leis para combater o trabalho escravo no Brasil, ele persiste; o trabalho inumano nos lixões das nossas cidades fala de como o ser humano é tratado, principalmente se ele é pobre. Esta diferença do tratamento que se dá a animais, plantas e ao ser humano é, de fato, um escândalo. Desejamos que as leis protejam o meio ambiente em função da vida como um todo no planeta. No entanto, não podemos admitir que a vida humana continue sendo tratada com descaso, como se fosse algo inferior e sem importância. O ser humano continua sendo o centro do planeta e sua vida parte essencial na composição do meio ambiente. Esta relação precisa ser melhor entendida e aprofundada para que valorizemos a totalidade da vida.

Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz
Bispo Diocesano de Caicó – RN.

21 de mar de 2011

Encerramento da Festa de São José

No último sábado (19/03), a comunidade cristã de Carnaúba dos Dantas viveu o encerramento da festa do padroeiro São José deste ano. Às 10 horas, aconteceu a Missa Solene, presidida pelo Bispo Diocesano Dom Manoel Delson, e concelebrada pelos padres Valdir, Stanley, Marcos e Costa. Às 16h30min, aconteceu a procissão de encerramento e, logo após, a missa com descerramento da Bandeira.
A festa de São José deste ano nos trouxe também as chuvas tão desejadas e só temos a agradecer ao Pai Celeste pelas bêncãos derramadas sobre a nossa comunidade. Que São José possa nos acompanhar na caminhada missionária proposta para este ano, levando-nos a sermos mais fieis à Palavra, "Palavra que gera vida no planeta".

16 de mar de 2011

Festa de São José - A Palavra que gera a vida no planeta











Ontem (15/03), vivemos a 6ª novena em honra ao nosso padroeiro São José. Estiveram conosco os padres Henock e Stanley. Padre Henock, pregador da noite, falou sobre o tema "Superando barreiras pela Palavra de Deus". Os noitários de ontem foram a Pastoral da Criança, os Vicentinos e a Educação, representada no ato pelo Centro Educacional Genius.
Hoje (16/03), a 7ª novena teve como noitários o Terço dos Homens e a Pastoral Familiar. Padre Neto meditou conosco sobre o tema "A Palavra de Deus como fonte de santidade.
Após a novena, em frente à matriz, aconteceu a abertura da VI Macucada - Mostra de Arte e Cultura de Carnaúba dos Dantas, idealizada pela Associação Musical e Cultural 11 de Dezembro em parceria com a Paróquia de São José. A apresentação de um grupo de palhaços, comandado pelo jovem Wágner Lima, juntamente com a Filarmônica Onze de Dezembro, animou os presentes.
Fica aqui o convite para que todos participem da festa de São José, das missas realizadas todas as manhãs, dos novenários à noite, da apresentação dos artistas da terra e das quermesses organizadas pelas pastorais e movimentos.

JORNAL KYRIE MARÇO/2011

O JORNAL KYRIE é um jornal da Paróquia de São José, de Carnaúba dos Dantas/RN, distribuído gratuitamente todos os meses para os dizimistas da paróquia, na semana que antecede o 2º domingo do mês. Em nossa paróquia, o 2º domingo é dedicado aos dizimistas.














Clique sobre as imagens para ampliá-las

14 de mar de 2011

Festa de São José 2011

Após um fim de tarde com chuva em Carnaúba dos Dantas, a comunidade cristã viveu mais uma noite de novena em honra ao padroeiro São José. A novena de hoje teve como noitários a Prefeitura Municipal, a Câmara de Vereadores e Grupos de 3ª Idade. O tema da noite foi "A Palavra de Deus como fonte de justiça" e teve como pregador o Padre Heliton, da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, de Cruzeta. Também participou da novena o Padre Stanley Lopes, nosso conterrâneo.
A graça de Deus foi derramada em abundância nesta tarde-noite em nossa cidade, através das chuvas. Esperamos contar com a participação de todos os devotos de São José nas celebrações realizadas durante a festa em honra ao padroeiro da nossa cidade, que também é padroeiro dos agricultores, para que assim possamos unirmo-nos em oração de louvor e agradecimento.

11 de mar de 2011

2º dia da Festa do Padroeiro São José




Nesta noite de sexta-feira (11 de março), aconteceu a segunda novena da festa de São José. Os fiéis presentes na Matriz de São José puderam meditar sobre o tema "A criação é moldada à Luz da Palavra", abordado pelo Padre Fabiano, reitor do Seminário Diocesano Santo Cura D'Ars e Pároco da Paróquia de São José do Seridó. Além de Padre Valdir e do Seminarista Allysson, esteve presente à novena o Seminarista Diego. Após a novena, quermesse e apresentação da Filarmônica 11 de Dezembro em frente à matriz.

Noitários de hoje: Apostolado da Oração, Capelinhas e Legião de Maria

10 de mar de 2011

Festa de São José 2011

Começou na noite desta quinta-feira (10 de março), a festa do Padroeiro São José. As comemorações ao padroeiro iniciaram com uma procissão motorizada, conduzindo a imagem de São José da Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Monte do Galo, até a Matriz. Em seguida, o Padre Valdir hasteou o estandarte e, após, houve a celebração da primeira novena e Missa de abertura da festa, presidida pelo Padre Valdir e concelebrada por Frei Xavier e Padre Stanley Lopes. O Frei Xavier falou sobre "A Palavra de Deus que gera a vida", tema da noite. Após a santa missa, a programação da noite continuou com apresentação da Filarmônica 11 de Dezembro, no largo da Matriz, e quermesse em prol da festa.

9 de mar de 2011

Quaresma




Como viver bem esse tempo forte de meditação, oração, jejum, esmola?

Neste tempo especial de graças que é a Quaresma devemos aproveitar ao máximo para fazermos uma renovação espiritual em nossa vida. O Apóstolo São Paulo insistia: "Em nome de Cristo vos rogamos: reconciliai-vos com Deus!" (2 Cor 5, 20); "exortamo-vos a que não recebais a graça de Deus em vão. Pois ele diz: Eu te ouvi no tempo favorável e te ajudei no dia da salvação (Is 49,8). Agora é o tempo favorável, agora é o dia da salvação." (2 Cor 6, 1-2).

Cristo jejuou e rezou durante quarenta dias (um longo tempo) antes de enfrentar as tentações do demônio no deserto e nos ensinou a vencê-lo pela oração e pelo jejum. Da mesma forma a Igreja quer ensinar-nos como vencer as tentações de hoje. Daí surgiu a Quaresma.

Na Quarta-Feira de Cinzas, quando ela começa, os sacerdotes colocam um pouquinho de cinzas sobre a cabeça dos fiéis na Missa. O sentido deste gesto é de lembrar que um dia a vida termina neste mundo, "voltamos ao pó" que as cinzas lembram. Por causa do pecado, Deus disse a Adão: "És pó, e ao pó tu hás de tornar". (Gênesis 2, 19)

Este sacramental da Igreja lembra-nos que estamos de passagem por este mundo, e que a vida de verdade, sem fim, começa depois da morte; e que, portanto, devemos viver em função disso. As cinzas humildemente nos lembram que após a morte prestaremos contas de todos os nossos atos, e de todas as graças que recebemos de Deus nesta vida, a começar da própria vida, do tempo, da saúde, dos bens, etc.

Esses quarenta dias, devem ser um tempo forte de meditação, oração, jejum, esmola ('remédios contra o pecado'). É tempo para se meditar profundamente a Bíblia, especialmente os Evangelhos, a vida dos Santos, viver um pouco de mortificação (cortar um doce, deixar a bebida, cigarro, passeios, churrascos, a TV, alguma diversão, etc.) com a intenção de fortalecer o espírito para que possa vencer as fraquezas da carne.

Na Oração da Missa de Cinzas a Igreja reza: "Concedei-nos ó Deus todo poderoso, iniciar com este dia de jejum o tempo da Quaresma para que a penitência nos fortaleça contra o espírito do Mal".

Sabemos como devemos viver, mas não temos força espiritual para isso.A mortificação fortalece o espírito. Não é a valorização do sacrifício por ele mesmo, e de maneira masoquista, mas pelo fruto de conversão e fortalecimento espiritual que ele traz; é um meio, não um fim.

Quaresma é um tempo de "rever a vida" e abandonar o pecado (orgulho, vaidade, arrogância, prepotência, ganância, pornografia, sexismo, gula, ira, inveja, preguiça, mentira, etc.). Enfim, viver o que Jesus recomendou: "Vigiai e orai, porque o espírito é forte mas a carne é fraca".

Embora este seja um tempo de oração e penitência mais profundas, não deve ser um tempo de tristeza, ao contrário, pois a alma fica mais leve e feliz. O prazer é satisfação do corpo, mas a alegria é a satisfação da alma.

Santo Agostinho dizia que "o pecador não suporta nem a si mesmo", e que "os teus pecados são a tua tristeza; deixa que a santidade seja a tua alegria". A verdadeira alegria brota no bojo da virtude, da graça; então, aQuaresma nos traz um tempo de paz, alegria e felicidade, porque chegamos mais perto de Deus.

Para isso podemos fazer uma confissão bem feita; o meio mais eficaz para se livrar do pecado. Jesus instituiu a confissão em sua primeira aparição aos discípulos, no mesmo domingo da Ressurreição (Jo 20,22) dizendo-lhes: "a quem vocês perdoarem os pecados, os pecados estarão perdoados". Não há graça maior do que ser perdoado por Deus, estar livre das misérias da alma e estar em paz com a consciência.

Jesus quis que nos confessemos com o sacerdote da Igreja, seu ministro, porque ele também é fraco e humano, e pode nos compreender, orientar e perdoar pela autoridade de Deus. Especialmente aqueles que há muito não se confessam, têm na Quaresma uma graça especial de Deus para se aproximar do confessor e entregar a Cristo nele representado, as suas misérias.

Uma prática muito salutar que a Igreja nos recomenda durante a Quaresma, uma vez por semana, é fazer o exercício da Via Sacra, na igreja, recordando e meditando a Paixão de Cristo e todo o seu sofrimento para nos salvar. Isto aumenta em nós o amor a Jesus e aos outros.

Não podemos esquecer também que a Santa Missa é a prática de piedade mais importante da fé católica, e que dela devemos participar, se possível, todos os dias da Quaresma. Na Missa estamos diante do Calvário, o mesmo e único Calvário. Sim, não é a repetição do Calvário, nem apenas a sua "lembrança", mas a sua "presentificação"; é a atualização do Sacrifício único de Jesus. A Igreja nos lembra que todas as vezes que participamos bem da Missa, "torna-se presente a nossa redenção".

Assim podemos viver bem a Quaresma e participar bem da Páscoa do Senhor, enriquecendo a nossa alma com as suas graças extraordinárias; podendo ser melhor e viver melhor.