Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

31 de mai de 2011

Coroação de Nossa Senhora

Ontem, 30 de maio, no Povoado Ermo, foi celebrada a Santa Missa com a encenação da Coroação de Nossa Senhora.




Já na noite de hoje, 31 de maio, quando a Igreja celebra a festa da Visitação de Nossa Senhora, relembrando o dia em que Maria visitou a sua prima Isabel, ambas grávidas, Pe. Valdir presidiu a Missa na Matriz de São José, e, logo após, houve a Coroação de Nossa Senhora.

Encontro de formação para catequistas


No dia 28 de maio, das 08 às 11 horas da manhã, aconteceu um encontro de formação para catequistas, no Centro Pastoral Dom José Adelino. O encontro foi ministrado pela Irmã Maria de Jesus, da Congregação Irmãs de Belém, acompanhada de sua equipe.

Participaram desse momento os catequistas da zona urbana e rural de Carnaúba dos Dantas e o tema para reflexão foi "SACRAMENTOS - SINAIS DA GRAÇA DE DEUS".

25 de mai de 2011

"... só é feliz quem sabe amar."



De 16 a 22 de maio a comunidade cristã carnaubense vivenciou a festa em honra a Santa Rita de Cássia. Nos dias 16, 17 e 18, aconteceram novenas e missas em residências localizadas no bairro Santa Rita. A partir do dia 19, início do tríduo festivo, as celebrações passaram a acontecer na Capela de Santa Rita. Na tarde do domingo, 22 de maio, dia de Santa Rita, os fiéis saíram em procissão, desde a Matriz de São José até a Capela de Santa Rita.



BIOGRAFIA DE SANTA RITA

Santa Rita de Cássia ou Santa dos Impossíveis, como é geralmente conhecida a grande advogada dos aflitos, nasceu em Rocca Porena, perto de Cássia (Itália), em 22 de Maio de 1381, tendo por pais Antônio Mancini e Amada Ferri. O nascimento da Santa foi precedido por sinais maravilhosos e visões celestiais que fizeram seus pais perceberem algo da futura e providencial missão de Rita, que seria colocada no mundo para instrumento da misericórdia de Deus em favor da humanidade sofredora.
Desde jovem, Rita tinha intenção de ser religiosa, mas seus pais, temendo que ela ficasse sozinha, resolveram casá-la com um jovem de família nobre, mas de temperamento excessivamente violento. Ela suportou pacientemente tal situação por 18 anos. Como ele tinha muitos inimigos, foi assassinado. A viúva suportou a dolorosa perda, perdoando os assassinos. Porém, crescia em seus filhos o desejo de vingança. Rita pediu que Deus os levasse, pois seria melhor que outra tragédia. Assim, perdeu os filhos. Rita estava livre para dedicar-se a Deus e pediu para entrar no Convento das religiosas Agostinianas da cidade. Mas naquela comunidade só podiam entrar virgens. Então, ela transformou sua casa num claustro, onde rezava as orações habituais das religiosas.
Uma noite, enquanto rezava, ouviu três batidas violentas em sua porta e uma voz lá de fora dizia: “Rita! Rita!”. Abriu a porta e viu em sua frente três Santos, que rapidamente a levaram ao Convento onde havia sido negada três vezes. Os mensageiros fizeram-na entrar, apesar das portas estarem fechadas, e deixaram Rita de Cássia em um dos claustros. Depois desapareceram.A superiora ficou fascinada com essa manifestação Divina. As religiosas decidiram por unanimidade que a viúva fosse recebida. Admitida noviça Rita começou a trabalhar para realizar seus desejos. Consagrou-se à oração e penitência, seu corpo foi seguidamente flagelado. Passava os dias a pão e água e noites sob vigília e oração.
Certo dia pediu com extraordinário fervor que um estigma de Jesus aparecesse para sentir a dor da redenção. Em uma visão, Rita recebeu um espinho cravado em sua testa. A chaga ficou por toda a vida e ainda pode-se vê-la em sua cabeça conservada intacta com o resto do corpo.
Um dia uma parente foi visitá-la, ela agradeceu a visita e ao se despedir pediu que lhe trouxesse algumas rosas do jardim. Como era inverno e não tinha rosas, pensaram que Rita estava delirando e sua visitante não ligou para seu pedido. Como para voltar para casa teria que passar pelo jardim olhou e se surpreendeu ao contemplar quatro lindas rosas que se abriram entre os ramos secos. Admirada do prodígio, entrou no jardim, colheu as flores e as levou ao Convento de Cássia. Nesta época, Rita estava muito doente e morreu em 22 de Maio de 1457.
No dia seguinte, seu corpo foi colocado na Igreja do Convento. Todos os habitantes da cidade foram venerar a religiosa.
No século XVII foi beatificada e em 24 de Maio de 1990, canonizada. O corpo de Santa Rita de Cássia continua conservado intacto até hoje. Qualquer pessoa pode contemplá-la na Igreja do Convento de Cássia, dentro de um relicário de cristal. Depois de tantos anos, seus membros ainda têm flexibilidade e pela expressão do rosto, parece estar dormindo.

23 de mai de 2011

Da Assembléia de Aparecida

Todos acompanharam através dos meios de comunicação social a 49ª Assembleia dos Bispos do Brasil, realizada em Aparecida, de 04 a 13 de maio, aos pés do Santuário da Padroeira do Brasil.
A Assembleia aconteceu num clima de fé, comunhão e oração ao Deus Trino, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, a Mãe protetora do Brasil.
A agenda de trabalho foi extensa e exigiu dos participantes grande esforço para acompanhar as diversas abordagens e discussões. Foram aprovados vários documentos, sendo o principal: “As Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil – 2011 a 2015 – Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida (Jo 14,6)”.
O Objetivo Geral das Diretrizes é: “Evangelizar, a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária e profética, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (Jo 10,10), rumo ao Reino definitivo”.
Retomamos neste objetivo a missão primeira da Igreja de evangelizar. Este é o mandato principal de Jesus Cristo aos seus apóstolos: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Nova a toda criatura!” (Mc 16,15). O foco da ação evangelizadora está no encontro pessoal com Jesus Cristo e a partir dele, na força do Espírito Santo, comunicar a todos a alegria da vitória do Ressuscitado, que se transforma em vitória de todos os que têm fé. A Igreja cumpre a sua missão de comunicar o Evangelho do Senhor enquanto cresce como “discípula, missionária e profeta”, nutrindo-se da Palavra de Deus e da Eucaristia. Cheia da força de Deus, a Igreja defende a vida, principalmente onde ela se encontra sob fortes ameaças, a vida dos indefesos e pobres.
Estas Diretrizes retomam aspectos importantes do Documento de Aparecida, entre eles a urgência da “conversão pastoral”, revendo estruturas que não mais respondem às exigências do presente e encontrar novas estruturas adaptadas aos novos tempos e deixando uma pastoral de mera conservação ou manutenção para assumir uma pastoral fortemente missionária e profética. Outro aspecto das diretrizes diz respeito à formação dos cristãos. O foco recai sobre “a iniciação à vida cristã, que não se esgota na preparação aos sacramentos do batismo, crisma e eucaristia”. Ela vai muito além e “se refere à adesão a Jesus Cristo”. Tal adesão deve se renovar continuamente ao longo da vida do batizado. Para isto, as Sagradas Escrituras são um referencial seguro, tendo na leitura orante um acesso privilegiado. Nos próximos quatro anos, as dioceses do Brasil terão estas orientações concretas para dinamizar a sua ação pastoral e missionária.
Também foram aprovadas “As Diretrizes para o Diaconado Permanente – Formação, Vida e Ministério do Diácono Permanente da Igreja no Brasil”. Tais diretrizes trazem um histórico do diaconado, seus fundamentos teológicos, sua identidade e missão, aspectos canônicos e normas da Igreja sobre o diaconato, vida e articulação dos diáconos, vida pastoral, além das etapas do processo formativo. Este documento será muito importante para as orientações dos diáconos na nossa Diocese de Caicó. Aqui temos um número significativo de diáconos permanentes e vários irmãos na Escola Diaconal, preparando-se para este ministério na nossa circunscrição eclesiástica.
Estamos completando 50 anos do Concílio Vaticano II, convocado pelo Papa João XXIII (1961) e encerrado pelo Papa Paulo VI (1965). A riqueza deste Concílio ainda não foi esgotada e nem compreendida em toda a sua extensão e profundidade pela Igreja. Teremos, nos próximos anos, a oportunidade de celebrar o Cinquentenário do Concílio e aprofundarmos a sua temática, recebendo de modo renovado os seus ensinamentos e trabalhando para que as suas principais idéias ganhem corpo na Igreja, abrindo-a para o mundo, a fim de que a luz de Cristo incida sobre a realidade dos homens do nosso tempo.
Esta foi também uma assembléia eletiva na qual elegemos a presidência da CNBB: Presidente – Dom Raimundo Damasceno Assis, Arcebispo de Aparecida; Dom José Belisário da Silva, Arcebispo de São Luís; Dom Leonardo Ulrich Steiner, Bispo de São Feliz do Araguaia. Rezemos para que a Virgem Aparecida interceda junto do seu Filho Jesus Cristo para que eles possam servir à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, criando comunhão e fortalecendo o espírito samaritano da Igreja.

Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz
Bispo Diocesano de Caicó – RN.

16 de mai de 2011

O BOM PASTOR DÁ A PRÓPRIA VIDA PELAS OVELHAS

Queridos irmãos e irmãs em Cristo:

Neste fim de semana temos a graça de celebrarmos o Domingo do Bom Pastor. A imagem do Pastor representa aquele que dá segurança, cuida e defende seu rebanho em todas as circunstâncias e em todos os momentos. Estes atributos são próprios de um grande líder, capaz de preocupar-se com o bem estar e com a dignidade daqueles aos quais estão sob seu cuidado.
No tempo de Jesus, os líderes religiosos deveriam agir assim. Mas ao invés de comunicarem a vida às pessoas, preferiam enveredar pelos caminhos da mentira e da manipulação das mesmas, tendo em vista os próprios interesses. Jesus, ao contrário, sendo Senhor da vida, fez com que esta comunicação vital fosse conhecida dentre os homens, de modo que a vida se tornasse plena. Ele enquanto Bom Pastor apresenta-se como aquele que dá a vida por suas ovelhas (Jo 10,11).
Em nossa realidade vigente, temos a presença do Cristo, Bom Pastor, em nossos sacerdotes. Eles, agindo in persona Christi, são chamados a conduzirem a grei do Senhor pelos retos caminhos, orientando-os a caminharem seguros e confiantes para verdadeira porta da vida que é o próprio Jesus. E as ovelhas reconhecem a voz do seu Pastor, e este conhece cada uma pelo nome. Esta relação de reciprocidade não apenas gera comunhão, mas também, fortalece a unidade no seguimento para a verdadeira vida.
Por outro lado, Jesus alerta sobre os perigos dos falsos pastores. Estes vêm como ladrões e não conduzem o rebanho ao bom caminho. Visam apenas seus próprios interesses e querem apenas tirar proveito de tudo, não se preocupando com o futuro de suas ovelhas. No mundo em que vivemos, temos de ser vigilantes, pois muitos se dizem pastores, e até “agem em nome de Jesus”. Mas, na verdade, são falsos e atuam em conformidade com os religiosos do tempo de Jesus, enganando as pessoas e tirando proveito da fragilidade das mesmas.
Enquanto discípulos de Jesus e ovelhas fiéis, procuremos de forma crítica analisar quem são os líderes que agem em conformidade com o projeto de Deus, assumindo com autenticidade a identidade da figura do Cristo, Bom Pastor.
Ao mesmo tempo, rezemos pelos nossos sacerdotes para que sejam fiéis a vocação que escolheram, configurando-se ao Cristo, Bom Pastor. Que Deus possa abençoá-los e confirmá-los sempre, para continuarem firmes no testemunho diário e na oração, e, assim, conduzam o rebanho do Senhor aos caminhos da santidade e da vida.


DOM MANOEL DELSON PEDREIRA DA CRUZ, OFMCap

6 de mai de 2011

JORNAL KYRIE MAIO/2011

O JORNAL KYRIE é um jornal da Paróquia de São José, de Carnaúba dos Dantas/RN, distribuído gratuitamente todos os meses para os dizimistas da paróquia, na semana que antecede o 2º domingo do mês. Em nossa paróquia, o 2º domingo é dedicado aos dizimistas.

Clique sobre as imagens para ampliá-las