Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

19 de jan de 2010

UM DIA QUE É DO SENHOR

REFLEXÃO DO EVANGELHO - Mc 2,23-28

Os judeus levavam muito a peito a observância do sábado. Jesus teve muita dificuldade em conviver com uma certa mentalidade formalista e legalista de alguns de seus contemporâneos. Muitos destes, sobretudo os fariseus, não admitiam qualquer tipo de “trabalho”, de qualquer esforço do corpo, no dia de sábado.
No episódio do evangelho proclamado neste dia Jesus permite que seu discípulos realizem o “trabalho” de colher espigas de milho para matar a fome... Os “legalistas” reagem. Jesus lembra que Davi havia lançado mão dos pães reservados aos sacerdotes para matar a fome dos circunstantes. Jesus afirma ser o o Senhor do sábado e encerra a questão.
Os cristãos guardam o domingo e não o sábado. Domingo porque a ressurreição de Jesus se deu no primeiro dia da semana. Para nós é fundamental santificar esse dia com a participação na missa. Não se trata de uma mera obrigação a ser realizada mais ou menos fria e formalmente, mas de um ato que fazemos com as entranhas e o coração. Não se trata de uma devoção qualquer, mas da realização de um pedido de Jesus para que renovássemos a ceia da despedida e o sacrifício vespertino em sua memória. Todas as vezes que celebramos a Eucaristia renova-se o gesto da redenção e nos tornamos próximos da Páscoa de Cristo. A Igreja e seus fiéis realizam a páscoa do Senhor em suas vidas.
Não basta apenas “assistir” a missa num fundo de igreja, na distração e esperando a hora de voltar para casa para então fazer as coisas triviais de todos os dias que nos parecem importantes.
Domingo é o dia da família, do encontro, da convivência, da caridade…Na medida do possível neste dia as pessoas doentes e idosas, os avós, os parentes poderiam receber a alegria da visita de seus entes queridos... Ou será que não? Domingo não é apenas o dia de dormir até meio dia, de passar horas e horas diante de um aparelho de televisão... assistindo a programas marcados pela futilidade e banalidade. Domingo é o dia da caridade.
Será que tem sentido abrir sempre o comércio aos domingos? Será que não estamos privando os membros de uma família de encontros? Será que o lucro não está sendo a primeira preocupação? Não queremos ser pessoas intransigentes, mas o domingo não nos pertence... é o Dia do Senhor.
Terminamos nossas reflexões com uma palavra do Papa João Paulo II em sua Carta Apostólica sobre o dia do Senhor: “É natural que os cristãos se esforcem para que, também nas circunstâncias específicas de nosso tempo, a legislação civil tenha em conta seu dever de santificar o domingo. Em todo caso têm a obrigação de consciência de organizar o descanso dominical de forma que lhes seja possível participar da Eucaristia, abstendo-se dos trabalhos e negócios incompatíveis com a santificação do dia do Senhor, com sua alegria própria e com o necessário repouso do espírito e do corpo” (Dies Domini, n.67).

EVANGELHO DO DIA - Marcos 2,23-28

Num dia de sábado, Jesus estava passando por uns campos de trigo. Os discípulos iam abrindo caminho, e arrancando as espigas. Então os fariseus perguntaram a Jesus: «Vê: por que os teus discípulos estão fazendo o que não é permitido em dia de sábado?» Jesus perguntou aos fariseus: «Vocês nunca leram o que Davi e seus companheiros fizeram quando estavam passando necessidade e sentindo fome? Davi entrou na casa de Deus, no tempo em que Abiatar era sumo sacerdote, comeu dos pães oferecidos a Deus e os deu também para os seus companheiros. No entanto só os sacerdotes podem comer desses pães.» E Jesus acrescentou: «O sábado foi feito para servir ao homem, e não o homem para servir ao sábado. 28 Portanto, o Filho do Homem é senhor até mesmo do sábado.»