Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

4 de out de 2009

Imagem de Maria intacta em meio aos escombros (Foto)

Estátua de Virgem Maria é vista intacta em meio aos escombros de uma capela, após o terremoto que atingiu a ilha de Sumatra, na Indonésia.

Fonte: UOL

AMOR QUE COBRA PEDÁGIO

Rosela, que é um desses anjos de carne e osso que Deus fez e não repetiu a fórmula, casada com Mariano, outro sujeito bom até a medula dos ossos, chorava triste a morte do seu cachorro, quando resolvi lhe dizer alguma coisa.
- Já pensou se não existisse gente como você que chora quando sua orquídea murcha? Seu cachorro morre e seu gatinho quebra uma pata? O amor cobra pedágio, Rosela! Toda pessoa sensível vive as oito bem-aventuranças. Ela é pura de coração, é pacífica, é perdoadora, quer justiça, sente a dor dos outros. Nem que este outro seja apenas um cachorro. Em compensação, porque faz tantos amigos e dá tanta importância às outras vidas cada vez que acontece uma perda ela sente que também perdeu. Porque ama mais e faz mais amigos, ela perde mais do que os outros. Amar intensamente gera dores maiores do que as dores comuns. Em compensação ninguém é mais feliz do que a pessoa que chora pelos outros. Um dia ela aprende a chorar menos mas não a amar menos.
Ela riu e disse: - Dói muito amar muito, mas eu não quero ser diferente. O Mariano diz que casou comigo porque eu choro bonito e pelo que vale a pena.
O amor cobra pedágio. Leva mais longe, mas de vez em quando ele cobra alguma dor. Quem ama entende isso. O amor não traz apenas o riso. Não existe amor sem dor, mas é uma dor que gera mais amor. Se você tem uma filha amorosa em sua casa, já sabe do que estou falando. Tudo mexe com ela, mas ela também mexe com tudo. Ter um coração bonito em casa faz uma enorme diferença. Casar com uma mulher dessas é um paraíso; perguntem ao Mariano. O que fazer se ele adora uma manteiga derretida?
(Do livro ORAR E PENSAR COMO FAMÍLIA, Pe. Zezinho)

4 de outubro: SÃO FRANCISCO DE ASSIS

XXVII DOMINGO DO TEMPO COMUM


Neste primeiro domingo de outubro - MÊS DAS MISSÕES E DO ROSÁRIO - nos reunimos para formar uma só família para fazermos e vivermos a experiência do amor fraterno e, por isso, celebramos, hoje, o Deus da aliança que concede aos casais que o busca através do Sacramento do Matrimônio, o dom da união matrimonial. Maridos e esposas devem santificar um ao outro e, juntos, zelarem pela santificação dos filhos que o bom Pai os concede.


Evangelho: Mc 10,2-16
Alguns fariseus se aproximaram de Jesus. Queriam tentá-lo e lhe perguntaram se a Lei permitia um homem se divorciar da sua melher. Jesus perguntou: "O que é que Moisés mandou vocês fazer?" Os fariseus responderam: "Moisés permitiu escrever uma certidão de divórcio e depois mandar a mulher embora." Jesus então disse: "Foi por causa da dureza do coração de vocês que Moisés escreveu esse mandamento. Mas desde o inicio da criação, Deus os fez homem e mulher. Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe, e os dois serão uma só carne. Assim, eles já não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, o homem não deve separar." Quando chegaram em casa, os discípulos fizeram de novo perguntas sobre o mesmo assunto. Jesus respondeu: "O homem que se divorciar de sua mulher e se casar com outra, cometerá adultério contra a primeira mulher. E se a mulher se divorciar do seu marido e se casar com outro homem, ela comererá adultério." Depois disso, alguns levaram crianças para que Jesus tocasse nelas. Mas os discípulos as repreendiam. Vendo isso, Jesus ficou zangado e disse: "Deixem que as crianças venham a mim e não proíbam que elas façam isso, pois o Reino de Deus é das pessoas que são como estas crianças. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem não receber o Reino de Deus como uma criança nunca entrará nele. Então Jesus abraçou as crianças e as abençoou, pondo as mãos sobre elas."
Palavra da Salvação