Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

27 de jul de 2011

"Jesus, o jeito novo de ser"




Neste ano de 2011, as duas paróquias da Diocese, consagradas a Sant’Ana, a de Caicó e a de Currais Novos, escolheram o mesmo tema da festa: “Jesus, o jeito novo de ser” e o mesmo lema: “Nas pegadas de Jesus, somos Igreja em missão”. As paróquias de Sant’Ana estão sintonia com o plano pastoral diocesano, que propõe para este ano ações missionárias dentro do grande movimento da Igreja do Continente latino-americano e caribenho, a Missão Continental. Este é, sem dúvida, um sopro do Espírito Santo sobre o nosso Continente. Queremos, pois, à luz do Documento de Aparecida, que nos chama a sermos discípulos e missionários, e da Exortação Apostólica Verbum Domini sobre a Palavra de Deus, que aponta para a atualidade da revelação do Pai, em Jesus Cristo, na Igreja, assimilar o sopro renovador do Espírito Santo que desce sobre nossa Igreja do Seridó: o caminho da missão com seus “novos métodos e novo ardor”.
Jesus é o missionário do Pai. Ele veio comunicar a Palavra definitiva do Pai para a humanidade:a salvação. E cumpriu de modo surpreendente o plano divino, encarnando-se, assumindo tudo que é humano, menos o pecado, consumando no altar da cruz no calvário a sua entrega radical, sacrificando-se e dando a vida para a salvação de todos. Na cruz, Jesus pronunciou a última Palavra do Pai para a humanidade pecadora: eis o meu amor. Quem crê neste mistério de doação será salvo. Quem olhar com fé para o crucificado não será atingido pelo crivo da morte, mas ressuscitará no último dia.
O novo jeito de ser de Jesus é o amor mais terno, mais puro, mais envolvente, mais comovedor, que o homem conheceu. Quem conseguir ver esta luz iluminado fica! Quem conseguir receber esta mensagem se renova interiormente e jamais será a mesma pessoa. Quem experimentar a doçura deste amor esquecerá as amarguras da vida e aprenderá a viver docemente, pois encontrou o sentido da sua vida.
O homem mais livre que o mundo já conheceu, ensina-nos os caminhos da liberdade. Livres do jugo dos outros homens, livres do domínio do pecado, livres do egoísmo, das vaidades, das ilusões, dos vícios, do mal, aqueles que seguem Jesus, o novo homem, tornam-se filhos e filhas de Deus. Somente quem alcança esta liberdade, no Espírito Santo, pode viver a alegria dos Filhos do Pai, em Cristo Jesus.
Jesus, o homem mais livre deste mundo, foi também o mais verdadeiro, amante da verdade e nos ensinou: “a verdade vos libertará”. É preciso buscar a verdade como caminho de luz, de vida e de salvação. Isto significa que não se pode negociar a verdade. Ela é um bem irrenunciável, pois depende dela a nossa liberdade do jugo do demônio, que é o pai da mentira. Tantos projetos falidos porque se fundamentam em proposições falsas que geram estrutura minada, que não suporta o peso do tempo e a necessidade imperativa da verdade.
Jesus Cristo, Mestre do Amor, ensina-nos que o jeito feliz de viver neste mundo é cumprir o mandamento novo: “amai-vos uns aos outros como eu vos amei”. O amor perpassa todas as instâncias da existência. Começa na família, vai da concepção até a morte, na comunidade de fé, nas escolas, nos ambientes de trabalho, de diversão e de entretenimento. O ser humano precisa do amor como precisa do ar para respirar.
O novo jeito de ser que Jesus apresenta é centrado na liberdade, na verdade e no amor! Deste tripé brotam as características da pessoa nova, Jesus Cristo, e dos seus discípulos e missionários: simplicidade, humildade, serenidade, alegria, fraternidade, solidariedade, generosidade, sensibilidade diante do sofrimento do outro e compromisso com o semelhante.
Que Sant’Ana nos ajude a viver esse novo jeito de ser com a graça do Filho de Deus, o Filho de Maria e seu neto amado!


Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz
Bispo Diocesano de Caicó – RN.

19 de jul de 2011

Papa convida a usar o Escapulário




O Papa Bento XVI convidou, no dia 17 de julho de 2011, a usar o escapulário de Nossa Senhora do Carmo, como “um sinal particular da união com Jesus e Maria”. O Pontífice recomendou, em polonês, que se use este objeto de tecido, de cor marrom, que se pendura no pescoço, no final do seu encontro com os peregrinos por ocasião do Ângelus. Não parece coincidência que o Santo Padre tenha dito estas palavras em polonês, pois João Paulo II usava o escapulário desde a sua juventude e via nele um símbolo de “defesa nos perigos, selo de paz e sinal do auxílio de Maria”.

As palavras de Bento XVI ressoavam um dia depois da celebração da memória de Nossa Senhora do Carmo, que recorda este gesto de devoção. “O escapulário é um sinal particular da união com Jesus e Maria – disse. Para aqueles que o usam, constitui um sinal do abandono filial na proteção da Virgem Imaculada. Em nossa batalha contra o mal, que Maria, nossa Mãe, nos cubra com seu manto”, concluiu.

Como explica a Ordem dos Carmelitas Descalços no seu site, o escapulário, em sua origem, era um avental que os monges usavam sobre o hábito religioso durante o trabalho manual. Com o tempo, assumiu o significado simbólico de querer carregar a cruz de cada dia, como os verdadeiros seguidores de Jesus. A própria Ordem esclarece que o escapulário não é “um objeto para uma proteção mágica (um amuleto)”, “em uma garantia automática de salvação”, “nem uma dispensa para não viver as exigências da vida cristã, muito pelo contrário!”. (Jesús Colina)

Fonte: Portal Zenit

16 de jul de 2011

A Igreja celebra o dia de Nossa Senhora do Carmo

A palavra Carmelo significa "jardim", quando abreviada se diz "Carmo". O Monte Carmelo fica ao norte de Israel, situado na região da antiga Palestina, próximo a atual cidade de Haifa. Neste cenário bíblico, no século IX antes de Cristo, viveu numa gruta o solitário profeta Elias, em espírito de penitência. Defensor da fé de um só Deus verdadeiro, ele profetizou a futura existência da mulher pura, a Virgem Maria, Mãe de Deus.

Desde então, o Carmelo se tornou local de retiro espiritual de muitos eremitas, que buscavam viver o modelo de perfeição monástica alcançada pelo profeta. No final do primeiro século depois de Cristo, chegaram pioneiros eremitas cristãos, que ao lado da fonte de Elias construíram uma capela em honra à Virgem Maria. Em 1209, o superior da comunidade, Santo Brocardo recebeu a Regra de Santo Alberto, constituindo a Ordem da Bem-aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo, reconhecida pela Santa Sé, em 1226.

A partir de 1237 os carmelitas foram quase expulsos do Monte Carmelo, pois a Palestina vivia sob pressão cada vez maior dos muçulmanos, que acabaram por invadi-la. Eles se estabeleceram em Chipre e Sicília, na Inglaterra e França. Viviam pobres como os franciscanos e dominicanos, da Ordem dos Mendicantes, a qual não quiseram aderir. Surgiram então as rivalidades e a Ordem do Carmo começou a sofrer perseguições externas, as quais provocaram a desunião interna. A solução foi enviar à Roma dois representantes carmelitas para conseguir o apoio do Papa. Eles apresentaram a antiga Regra de Santo Alberto adaptada aos novos tempos da Igreja, mantendo o carisma original e obtiveram sua aprovação.

A Ordem do Carmo atravessou essa fase difícil até meados de 1251, quando tudo se estabilizou.

Origem do Escapulário

Nessa época, na Inglaterra, no Carmelo de Cambridge residia o Superior Geral, o já idoso Simão Stock, hoje Santo venerado na Igreja. Ele rezava com ardor à Santa Mãe, rogando com confiança por seu auxílio, para a Ordem criada em sua honra. No dia 16 de julho de 1251, teve uma visão da Virgem Maria sentada numa nuvem cercada de anjos, confirmando sua proteção celeste.

Como símbolo de sua união aos carmelitas, entregou à Stock o Escapulário do Carmo, e disse-lhe: "Recebe, meu filho, este escapulário da tua ordem, que será o penhor do privilégio que eu alcancei para ti e para todos os filhos do carmo. Todo o que morrer com este escapulário será preservado do fogo eterno".

A história dos carmelitas está repleta da presença da Virgem Maria. Devoção que espalharam ainda mais pelo mundo, graças a instituição do Escapulário de Nossa Senhora do Carmo, cujo símbolo de fé se difundiu por toda a cristandade.

Vários Papas promoveram o uso do escapulário e Pio XII chegou a escrever: "Devemos colocar em primeiro lugar a devoção do escapulário de Nossa Senhora do Carmo" - e ainda - "escapulário não é 'carta-branca' para pecar; é uma 'lembrança' para viver de maneira cristã, e assim, alcançar a graça duma boa morte".

Neste dia de Nossa Senhora do Carmo, não há como não falar da história dos Carmelitas e do Escapulário, pois onde estão os filhos aí está a amorosa Mãe.

Fonte: cancaonova.com

8 de jul de 2011

JORNAL KYRIE JULHO/2011

Clique sobre as imagens para ampliá-las

3 de jul de 2011

Formação sobre a LECTIO DIVINA

Na noite desse sábado, 02 de julho, foi realizado na Matriz de São José um Grupo de Oração diferente. É que no decorrer do Grupo de Oração houve uma formação sobre a Lectio Divina, a leitura orante da Palavra de Deus.
O Grupo de Oração começou com a oração do Santo Terço e, após, um momento de oração, conduzido pela coordenadora do Grupo de Oração Frutos do Amor de Deus, Vanessa Medeiros, e de louvor, ministrado pelo Ministério de Música da RCC de Carnaúba dos Dantas. Em seguida, o Seminarista Allysson Bruno fez uma explanação sobre a LECTIO DIVINA, explicando todos os seus passos:
1º passo: Invocação ao Espírito Santo
2º passo: Leitura da Palavra
3º passo: Meditação
4º passo: Oração
5º passo: Contemplação
Na sequência, houve um momento de adoração, conduzido pelo Sem. Allysson Bruno, que levou os participantes a viverem tudo o que havia sido repassado sobre a leitura orante, tomando como base a Palavra que está no Evangelho de São Lucas, capítulo 24,13-35.
Com esse grupo/encontro de formação, o Seminarista Allysson Bruno se despede de nossa Paróquia, visto que partirá brevemente para Roma, onde passará por um período de estudos.
A Allysson, nossos votos de que o Espírito Santo o guie em mais esta etapa de sua vida.

2 de jul de 2011

Arraiá da Infância Missionária no Povoado Ermo













A Infância Missionária do Povoado Ermo realizou no dia 29 de junho um maravilhoso arraiá. Estiveram presentes várias pessoas da comunidade, que tiveram a alegria de ver várias crianças desfilando e mostrando toda simpatia, beleza e elegância. Tinha barraca com comidas típicas e muita animação.