Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

13 de jun de 2010

COISAS QUE SE PASSARAM DURANTE UMA REFEIÇÃO

Certa vez um fariseu, personagem que diz buscar seriamente ser fiel a Deus, convidou Jesus para sua intimidade, para uma refeição em sua casa. O homem recebeu seu hóspede corretamente. Deve tê-lo saudado e conduzido ao seu lugar à mesa. Não fez nenhuma grosseria. Um homem correto, sem mais.

Um segundo personagem ganha a cena na descrição de Lucas: uma mulher pecadora, assim conhecida na cidade. Parece que ela soube da presença de Jesus , depois do começo da recepção. Não estava na lista dos convidados. Diríamos mesmo que ela se convidou a si mesma. Para o anfitrião tratava-se de uma presença incômoda. Tudo leva a crer que ela sentia admiração por Jesus. Há um conjunto de pormenores que devem ser ressaltados: ela traz um frasco de perfume. Não vem sem ter pensado numa especial atenção para com esse Jesus. Chora, não ocupa um lugar à mesa, posiciona-se atrás de Jesus, lava-lhes os pés, enxuga-os com os cabelos...chora....Quantas delicadezas partindo de uma pecadora!

O dono da casa, dessas casas abertas, sem tranca, não gostou da presença daquela mulher e lá no seu interior criticava Jesus por aceitar tantas delicadezas que, eventualmente, poderiam ser mal interpretadas. Jesus leu os pensamentos do fariseu e deu-lhe o troco, respondendo de maneira figurada, em parábolas.

Fala de dois credores. Um devia pouco e outro muito. O patrão amou mais aquele que devia muito, que devia mais, embora os dois não tivessem com que pagar. O pecador arrependido, mesmo com alta dívida, mas com lágrimas nos olhos, ocupa um lugar importante no coração de Deus, lugar mais íntimo do que aquele reservado aos certinhos e corretinhos, mas frios.

“Quando entrei em tua casa tu nem tiveste a preocupação de oferecer água para lavar os pés, para purificar-me da poeira do caminho. Ela lavou meus pés com lágrimas e os enxugou com seus longos cabelos. Tu não me deste o beijo de saudação. Ela não cessou de oscular meus pés. Não te lembraste de ungir minha cabeça com perfume. Tu podes te dar conta da intensidade do perfume desta sala. Essa mulher pecadora, indigna em tua maneira de ver, quebrou o frasco para mostrar que precisava de minhas palavras e, penso, de meu perdão. Está aí, meu caro amigo, tenho a te dizer que precisas ter um coração delicado. Tua religião tão legalista não te leva a praia alguma”

Voltando-se para a mulher: “Tua fé te salvou. Vai em paz!”

XI DOMINGO DO TEMPO COMUM



EVANGELHO: Lucas 7,36-8,3

Certo fariseu convidou Jesus para uma refeição em casa. Jesus entrou na casa do fariseu, e se pôs à mesa. Apareceu então certa mulher, conhecida na cidade como pecadora. Ela, sabendo que Jesus estava à mesa na casa do fariseu, levou um frasco de alabastro com perfume. A mulher se colocou por trás, chorando aos pés de Jesus; com as lágrimas começou a banhar-lhe os pés. Em seguida, os enxugava com os cabelos, cobria-os de beijos, e os ungia com perfume. Vendo isso, o fariseu que havia convidado Jesus ficou pensando: «Se esse homem fosse mesmo um profeta, saberia que tipo de mulher está tocando nele, porque ela é pecadora.» Jesus disse então ao fariseu: «Simão, tenho uma coisa para dizer a você.» Simão respondeu: «Fala, mestre.» «Certo credor tinha dois devedores. Um lhe devia quinhentas moedas de prata, e o outro lhe devia cinqüenta. Como não tivessem com que pagar, o homem perdoou aos dois. Qual deles o amará mais?» Simão respondeu: «Acho que é aquele a quem ele perdoou mais.» Jesus lhe disse: «Você julgou certo.» Então Jesus voltou-se para a mulher e disse a Simão: «Está vendo esta mulher? Quando entrei em sua casa, você não me ofereceu água para lavar os pés; ela, porém, banhou meus pés com lágrimas, e os enxugou com os cabelos. Você não me deu o beijo de saudação; ela, porém, desde que entrei, não parou de beijar meus pés. Você não derramou óleo na minha cabeça; ela, porém, ungiu meus pés com perfume. Por essa razão, eu declaro a você: os muitos pecados que ela cometeu estão perdoados, porque ela demonstrou muito amor. Aquele a quem foi perdoado pouco, demonstra pouco amor.» E Jesus disse à mulher: «Seus pecados estão perdoados.» Então os convidados começaram a pensar: «Quem é esse que até perdoa pecados?» Mas Jesus disse à mulher: «Sua fé salvou você. Vá em paz!»
Depois disso, Jesus andava por cidades e povoados, pregando e anunciando a Boa Notícia do Reino de Deus. Os Doze iam com ele, e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos maus e doenças: Maria, chamada Madalena, da qual haviam saído sete demônios; Joana, mulher de Cuza, alto funcionário de Herodes; Susana, e várias outras mulheres, que ajudavam a Jesus e aos discípulos com os bens que possuíam.
PALAVRAS DA SALVAÇÃO - Glória a vós, Senhor