Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

30 de dez de 2010

Confraternizações na Paróquia

Acima, fotos da confraternização natalina organizada pela Pastoral da Criança, realizada na tarde desta quinta-feira (30/12), no Centro Pastoral.
Abaixo, confraternização dos dizimistas do Povoado Ermo, que aconteceu na noite de ontem (29/12), naquela comunidade.


CONFRATERNIZAÇÃO RCC

Domingo (26/12) aconteceu a Confraternização Natalina da Renovação Carismática Católica da Paróquia São José. Foi um momento especial, em que todos os servos da RCC puderam agradecer por mais um ano de crescimento espiritual, em meio a dinâmicas de animação e a troca de presentes (amigo secreto). A galera estava animada!
Fotos: RCC

28 de dez de 2010

A paróquia de São José acolhe de braços abertos o novo Pároco Pe. Valdir Waldik de Araújo Dantas.





No dia 23 de dezembro a cidade de Carnaúba dos Dantas parou para acolher o novo Pastor, enviado pelo Bispo Diocesano Manoel Delson Pedreira da Cruz e guiado por Deus, para dar continuidade aos trabalhos que tão bem já estavam sido desenvolvidos.
Pe. Valdir Waldik no seu 15º ano de evangelização,veio de Currais Novos onde atualmente era Pároco para Carnaúba dos Dantas.
Na noite de posse ,uma linda celebração onde contou com a presença dos paroquianos, bem com as autoridades de nossa cidade e também contou com a presença do Bispo Diocesano Dom Delson que celebrou a Missa e alguns Padres de cidades vizinhas que vieram prestigiar esse momento tão importante na vida de todos.
Em meio a muita emoção os paroquianos se mostraram prestativos e prontos pra continuar na luta pela evangelização de nossa cidade.

Terço dos Homens realizam encerramento anual na Casa do Idoso





O Terço dos Homens da Paróquia de São José realizou dia 22 de dezembro, seu encerramento anual dos trabalhos do ano de 2010. O evento foi iniciado em frente à Igreja Matriz de São José, seguindo em caminhada para Casa de Amparo José Bernardo (casa do idoso). Na programação, os coordenadores fizeram breves relatos dos trabalhos desenvolvidos durante o ano, além da celebração, louvores e mensagens.

O evento contou com as presenças da coordenadora do CRAS Luciana de Medeiros Dantas e do proprietário do Jornal JCN Anderson Dantas. Sequenciando a comemoração, foi servido um jantar de confraternização.

20 de dez de 2010

Peça teatral "O Burro e o Boi em Belém"

Dentro das atividades da Semana Natalina promovida pela Prefeitura Municipal, na noite desta segunda-feira (20), o Grupo de Teatro Gargalhada, do PETI, apresentou a peça "O Burro e o Boi em Belém". A apresentação aconteceu no largo da Matriz de São José e foi bastante aplaudida pelos presentes.
Fotos: PASCOM Paróquia São José

19 de dez de 2010

Semana Natalina

Iniciando as atividades da Semana Natalina em nossa cidade, a Filarmônica 11 de Dezembro, sob a regência do Maestro Márcio, fez um bonito concerto na Matriz de São José, após a Santa Missa, neste domingo (19/12/2010). Os presentes puderam se deleitar com uma apresentação brilhante da orquestra, que, num primeiro momento, executou músicas diversas, algumas de autoria de músicos carnaubenses, e, em seguida, apresentou músicas natalinas.
A Prefeitura Municipal está à frente da programação da Semana Natalina e de amanhã (20/12) até quinta-feira (23/12), teremos todas as noites, a partir das 19h, apresentações diversas no Largo da Matriz de São José.

17 de dez de 2010

O Natal e a vida

Estamos próximos do Natal! Esta celebração marca a nossa vida com sinais de alegria e esperança, ao mesmo tempo em que anuncia que a Luz do Mundo chegou trazendo a Paz. Ele, que é o Filho Amado de Deus, nasceu de uma mulher! A vida que Jesus vai recordar, que Ele veio para que todos a tenham e a tenham em abundância, é um dos valores mais importantes da nossa civilização. É com o olhar confiante que vemos a importância da pessoa humana e da história que vamos vivendo em nosso planeta, o único conhecido até agora que tem vida inteligente.

No dia 5 de dezembro deste ano foi publicada nos jornais uma notícia sobre a pesquisa do Instituto Vox Populi em que se constata que, no Brasil, 82% do nosso povo são a favor da vida do nascituro, e, portanto contra o aborto. Segundo a mesma pesquisa, este índice é o maior desde que os levantamentos começaram a ser feitos, em 1993.

Diga-se que isso demonstra claramente a opinião progressista de um povo que, mesmo com toda a propaganda contrária, traz em suas convicções a importância da vida desde a concepção até a morte natural. A opinião conservadora, antiquada e retrógrada de “eliminar” pessoas indesejáveis, porém, ainda encontram abrigo em considerações provindas de culturas de violência e preconceituosas.

O aborto, que é o mesmo que a interrupção da gravidez, eliminando uma pessoa, não é uma questão de saúde pública, mas é muito mais que isso: aqui se joga a concepção e valores da pessoa humana e a constatação da beleza da vida concebida.

A cultura que vai sendo gerada em nossa sociedade, que se preocupa em trocar a iluminação de um monumento para que não se matem as mariposas da floresta, está em contradição com a falta de consideração pela vida humana e também da mulher, de seus sentimentos, sua vida e o respeito que merece.

Nesses casos, além da criança eliminada, a mulher e mãe, que tem sentimentos e amor, sofre duplamente com toda a situação. A saúde da mulher deve ser preservada e bem cuidada para que tenha uma vida saudável. Precisamos sim ter serviços médicos que ajudem a preservar a vida em todas as circunstâncias e com dignidade de atendimento, seja qual for a situação em que se encontra a pessoa.

Ser favorável à vida é antes de tudo uma questão de ciência e consideração pela pessoa humana. Países em que isso foi desconsiderado, além dos vazios existenciais pessoais, estão cedendo lugar a outras civilizações que ocupam os espaços deixados vazios devido a essa mentalidade. Aliás, o Brasil, de acordo com o último censo demonstrou que está também nesse caminho do envelhecimento. Daqui a algum tempo será defendida a tese que teremos de eliminar também aqueles que “não produzem” e só dão despesas para a sociedade, porque não teremos mão de obra para sustentar a produção nacional e, consequentemente, os pensionistas da previdência social.

Certas opções e opiniões são deveras preocupantes para o futuro da humanidade. Nós somos favoráveis à vida em todas as dimensões, passando pelo desenvolvimento, educação, saúde, habitação, lazer. Não se pode defender uma parte da vida negando a outra, por isso, a importância de valorizá-la desde a concepção.

Num mundo de violências profundas, e nós lamentamos muito essas situações, não podemos continuar gerando violência nem pela injustiça, nem dentro de nossas casas, muito menos dentro do local sagrado em que a vida está sendo gestada para vir ao mundo.

Este é um momento muito importante e sério para a humanidade e não podemos continuar imitando nações e regiões que perdem seus valores culturais e humanos. O Brasil deve ter personalidade suficiente para continuar o seu caminho sem se deixar pressionar por entidades internacionais e por tratados que não querem o bem do nosso povo e só impõem obrigações que nos empobrecem, principalmente, culturalmente.

A discussão que houve no país há pouco tempo demonstrou a sensibilidade do povo brasileiro em valorizar a vida. Agora, durante este tempo de Natal, é importante que valorizemos ainda mais esse grande e belo dom que recebemos de Deus: a vida.

Que Cristo – Caminho, Verdade e Vida – seja luz em nosso caminho e luz para o nosso mundo.
Dom Orani João Tempesta

14 de dez de 2010

A festa está preparada. E o festejado?

A 3ª semana do Advento inicia com um convite insistente à alegria: “Alegrai-vos sempre no Senhor! Digo de novo – alegrai-vos! O Senhor está perto!” (Fl 4,4s). E as palavras poéticas do profeta Isaías falam da terra desértica que se alegra, germina e cobre de flores por toda parte; dos surdos que passam a ouvir, dos paralíticos que pulam como cabritos, dos mudos que começam a falar e a proclamar os louvores de Deus... E reanima os desanimados e fracos e os exorta a não temerem, a retomarem coragem e vigor, a se colocarem em pé.
E por qual motivo? Porque Deus está próximo e vem salvar o seu povo, que vivia no exílio e na escravidão. Voltarão para casa, reconstruirão a cidade e viverão em paz e liberdade. Haverá sorrisos, cânticos de louvor e um brilho de felicidade nos olhos de todos. Nunca mais conhecerão a dor e o pranto (cf Is 35,1-6.10).
O anúncio profético é dirigido a um povo submetido à humilhação e ao desprezo em meio aos outros povos. Mas o que a Palavra de Deus nos diz vai além da aplicação histórica específica e nos faz pensar nas muitas situações que a humanidade viveu em todos os tempos, vive hoje e ainda viverá, até que na terra habitem os descendentes de Adão: Humilhação, violência, desprezo, violação dos direitos mais básicos, discriminações, sonhos de felicidade abortados, perplexidade quanto ao futuro, doenças ameaçadoras, crise ecológica e uma série infindável de aflições. Sem pensar na “irmã morte”, indesejada mas furtiva e inseparável companhia, que nos espreita a cada passo...
De fato, não apenas o povo de Israel viveu sem pátria e oprimido na Babilônia: Todos somos exilados e peregrinos neste mundo, submetidos a constantes aflições e angústias, debatendo-nos na estreiteza de nossas limitações, mas com um coração inquieto, que sonha alto, quer liberdade e felicidade plena. Estamos à procura da pátria definitiva. E aqui ressoa a mensagem do Advento: “Não tenhas medo, Jacó, pobre vermezinho! Não tenhais medo, homens de Israel! Eu vos ajudarei!” (cf Is 41, 13-14). Coragem, homens e mulheres do nosso tempo! Coragem, jovens e anciãos apreensivos quanto ao futuro! Não tenhais medo! Deus não abandonou a humanidade ao seu destino, sem mais se importar conosco! Coragem, não estamos sozinhos neste mundo! Nossas angústias não ficam sem resposta, nem nossas buscas, sem sentido.
A Boa Nova do Advento e do Natal refletem a antropologia da fé cristã e uma visão sobre o mundo, que traz esperança ao homem: Não estamos sozinhos no universo! Não somos frutos do acaso, nem somos impelidos por um sonho impossível: Deus sabe de nós, olha por nós e nos estende a mão com infinita ternura e compaixão: “Misericórdia e piedade é o Senhor; Ele é amor, paciência e compaixão!” (cf Sl 144/145). E a Igreja não pode deixar de proclamar esta Boa Nova ao mundo, como luz que brilha nas trevas e água que irriga o deserto.
O mundo não sempre compreende, nem dá ouvidos a este bom anúncio da Igreja. Muitas vezes, o homem ainda prefere as fantasias e ilusões criadas por ele mesmo. Cria todo um clima de festa, enfeita ruas e praças, compra e distribui presentes, as satisfações são medidas pelo tamanho dos pacotes e a quantidade de comida na ceia de Natal! A festa é preparada mas o homenageado não foi lembrado... E convida-se Papai Noel em lugar do menino Jesus! A constatação do primeiro Natal continua a se repetir: Maria e José, excluídos do brilho da cidade e dos lugares de festa - “não havia lugar para eles...” - foram abrigar-se numa gruta, que servia de abrigo para animais (cf Lc 2,7). E aí nasce para o mundo o Filho de Deus e enche o mundo de luz!
Ainda está em tempo de dizer à cidade que no Natal foi Deus que veio ao encontro de todos nós, com infinita ternura e compaixão! Ainda é tempo de nos prepararmos espiritualmente, para celebrar com fé e intenso júbilo as alegrias da salvação. Abramos espaços em nossa vida e no convívio social para acolher o Deus que veio e continua a vir ao nosso encontro. Se o Natal virou uma grande festa do consumo para muitos, não cessemos de propor e testemunhar ao mundo o seu significado cristão.
Agora, que entramos na Novena Litúrgica do Natal, intensifiquemos a oração pessoal, em grupos e nas famílias e as ações de solidariedade fraterna; preparemo-nos espiritualmente mediante a confissão. E não esqueçamos de fazer um belo presépio nas casas, envolvendo as crianças e os jovens na sua montagem; presépio com Maria, José e Jesus, o anjo anunciante, os pastores e os reis magos. E também fica bonito colocar a fotografia de cada membro da família perto da manjedoura...
Cardeal Odilo Pedro Scherer

13 de dez de 2010

JORNAL KYRIE DEZEMBRO/2010

Clique sobre as imagens para ampliá-las

2 de dez de 2010

Festa de Santa Luzia e São Bento 2010

A partir de amanhã (03/12), o bairro Dom José Adelino Dantas - Monte do Galo - vivencia mais uma festa em honra a Santa Luzia e São Bento. Este ano, a festa tem como tema "Somos chamados a viver e a transmitir a comunhão com a Trindade" (DAP 157).
A programação religiosa da festa é a seguinte:

Dia 03/12 -
19h - Abertura, com hasteamento do estandarte e celebração da Santa Missa em ação de graças pelos devotos de Santa Luzia e São Bento.

Dia 04/12 -
19h - Primeira novena. Tema: A Diocese, lugar privilegiado da Comunhão (DAP 169)

Dia 05/12 -
19h - Segunda novena. Tema: A Paróquia é chamada a ser casa escola de comunhão (DAP 170)

Dia 06/12 -
19h - Terceira novena. Tema: Criança evangelizando criança.

Dia 07/12 -
19h - Quarta novena. Tema: Homens a serviço da evangelização.

Dia 08/12 -
19h - Quinta novena. Missa da Primeira Eucaristia. Tema: Catequese, caminho para o discipulado.

Dia 09/12 -
19h - Sexta novena. Tema: A Comunhão da Igreja se faz com o Pão da Palavra de Deus e o Pão do Corpo de Cristo (DAP 158)

Dia 10/12 -
19h - Sétima novena. Tema: Dízimo, comunhão e partilha.

Dia 11/12 -
19h - Oitava novena. Tema: Fé e vida gerando comunhão e participação na sociedade.

Dia 12/12 -
19h - Nona novena. Tema: Família em comunhão com Cristo.

Dia 13/12 - DIA DA FESTA
08h - Missa Solene com participação dos romeiros e a comunidade Cristã. Após a missa, haverá a procissão de encerramento com as imagens de Santa Luzia e de São Bento, arreamento do estandarte e palavras de agradecimento.