Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

24 de mar de 2010

PERMANECER NA PALAVRA DO MESTRE

REFLEXÃO DO EVANGELHO


Os discípulos de Jesus, de modo especial durante o tempo da quaresma, vão ouvindo e assimilando os longos e profundos discursos joaninos do Mestre. Com isso pretendem se preparar para a Páscoa. “Se permanecerdes na minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos, e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”.

Permanecer na palavra de Jesus!... Não se trata apenas de ler esporádica, ou mesmo diariamente, textos dos evangelhos. Nem apenas de chegar a uma agilidade mental capaz de fazer ligações entre Marcos e Lucas, João e Mateus. Não se trata apenas de ser perito nas teorias exegéticas. Permanecer na palavra de Jesus é adotar interior e exteriormente a posição de alguém que escuta com o interior esse Jesus que está perto de nós, ressuscitado, vivo... falando pelos evangelhos sim, mas também através da voz dos sem voz, dos gestos dos sacramentos e no fervor das reuniões fraternas. Um Mestre que se busca com avidez e que quer ver nosso interior ir se conformando com o seu. Permanecer na palavra significa ligar-se faminta e persistentemente a esse Cristo que acolhemos pela fé.

De tanto ouvir o Mestre dá-se o seguimento. Emergem discípulos do Senhor no meio da massa, pessoas que casando, comendo, viajando, trabalhando, alegrando-se, sofrendo, vivendo... são discípulos de Jesus e não meros “religiosos” sem expressão, gente que não consegue fazer a diferença. Fazem a diferença os que ouvem e põem em prática. Os que ouvem Cristo se tornam discípulos.

“Jesus faz dos discípulos, seus familiares, porque compartilha com eles a mesma vida que procede do Pai e lhes pede, como discípulos, uma união íntima com ele, obediência à Palavra do Pai, para produzirem frutos de amor em abundância (Doc. de Aparecida, n. 133).

“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. De tanto escutar a Palavra com as entranhas, de tanto fazer lugar dentro de si para a ação de Cristo ressuscitado, começando a ser discípulo simples, alegre, serviçal, generoso, o seguidor de Cristo entra na esfera da verdade. Conhece a verdade. Não apenas uma verdade da mente, intelectual, repetida sem pensar. Conhece uma verdade experimentada.

Lavando os pés dos outros, esquentando uma sopinha para um doente, emprestando sem exigir juros, os que são de Cristo vão se libertando do ego e da mentira de cada um de nós. A verdade da pessoa de Jesus e a alegria do discipulado libertam... Somente a verdade cristã e evangélica liberta o homem das amarras que a vida prepara.

Fonte: www.franciscanos.org.br

EVANGELHO: João 8,31-42

Então Jesus disse para as autoridades dos judeus que tinham acreditado nele: «Se vocês guardarem a minha palavra, vocês de fato serão meus discípulos; conhecerão a verdade, e a verdade libertará vocês.» Eles disseram: «Nós somos descendentes de Abraão, e nunca fomos escravos de ninguém. Como podes dizer: 'vocês ficarão livres’? «Jesus respondeu: «Eu garanto a vocês: quem comete o pecado, é escravo do pecado. O escravo não fica para sempre na casa, mas o filho fica aí para sempre. Por isso, se o Filho os libertar, vocês realmente ficarão livres. Eu sei que vocês são descendentes de Abraão; no entanto, estão procurando me matar, porque minha palavra não entra na cabeça de vocês. Eu falo das coisas que vi junto do Pai; vocês também devem fazer aquilo que ouvem do pai de vocês.»
As autoridades dos judeus disseram a Jesus: «Nosso pai é Abraão.» Jesus disse: «Se vocês são filhos de Abraão, façam as obras de Abraão. Agora, porém, vocês querem me matar, e o que eu fiz, foi dizer a verdade que ouvi junto de Deus. Isso Abraão nunca fez. Vocês fazem a obra do pai de vocês.» Então eles replicaram: «Não somos filhos ilegítimos; só temos um pai, que é Deus.» Jesus disse: «Se Deus fosse pai de vocês, vocês me amariam, porque eu saí de Deus e venho dele. Não vim pela minha própria vontade, mas foi ele que me enviou.»