Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

16 de jan de 2010

Por que ir à Igreja?

Se você está espiritualmente vivo, você vai amar esta mensagem!
Se você está espiritualmente morto, você não vai querer ler esta mensagem!
Se você está espiritualmente curioso, ainda existe uma esperança.

Um frequentador da Igreja escreveu para o editor de um jornal e reclamou que não faz sentido ir à Igreja todos os domingos:
"Eu tenho ido à Igreja por 30 anos e durante este tempo eu ouvi uns 3.000 sermões. Mas por minha vida, eu não consigo lembrar nenhum sequer deles… Assim, eu penso que estou perdendo meu tempo e os padres e pastores estão desperdiçando o tempo deles pregando sermões!"
A carta iniciou uma grande controvérsia na coluna “Cartas ao Editor”, para alegria do editor-chefe do jornal. Durante semanas, ele recebia e publicava cartas sobre o assunto, até que alguém escreveu:
"Senhor editor: eu estou casado há 30 anos. Durante este tempo minha esposa deve ter cozinhado umas 32.000 refeições. Mas, por minha vida, eu não consigo me lembrar do cardápio de nenhuma destas 32.000 refeições. Mas uma coisa eu sei: todas elas me alimentaram e me deram a força que eu precisava para trabalhar... para viver! Se minha esposa não tivesse me dado estas refeições, hoje eu estaria fisicamente morto. Da mesma maneira, se eu não tivesse ido à Igreja para alimentar minha fome espiritual, eu estaria morto espiritualmente!


A Fé vê o invisível, acredita no inacreditável, e recebe o impossível!
Demos graças a Deus por nossa nutrição física e espiritual!

ESSE JESUS QUE PASSA E CHAMA

REFLEXÃO DO EVANGELHO - Mc 2,13-17
Jesus havia saído de casa para a beira mar. Toda gente ia ao seu encontro. “Enquanto passava Jesus viu Levi, o filho de Alfeu, sentado na coletoria de impostos e disse-lhe: Segue-me!”
F. Berra, autor italiano, vai nos ajudar a refletir sobre esse passar de Jesus...

Jesus “passa”: na opacidade e ao mesmo tempo na transparência das coisas que acontecem. Passa: na superposição das inspirações, que iluminam o coração. Passa: na pobreza e no desespero do homem. Passa: pela fresta do egoísmo humano fechado em si mesmo. Passa: pela decepção das coisas prometidas que e não se cumprem. Passa: pela segurança do bem estar e pela ridícula satisfação daquele que é designado de “novo rico”...
Passa e volta: como a lançadeira de um tear. Como o amante encarniçado que não descansa enquanto não consegue aquela que ama. Passa quando menos esperas: assim o Senhor atravessa tua vida. Passa e vai, passa e permanece ao mesmo tempo. De qualquer modo deixa marcas visíveis e sensíveis de sua passagem: a atração de um convite persistente, o clamor de uma Palavra que não pode ser calada, o tormento de um desejo que renasce, a alegria de um compromisso que esgota as forças de um homem.
Jesus passa. É um dos muitos transeuntes que cruzamos em nossos caminhos. Incontáveis são os que passam sem passar, que pulam ao passarem por nós, que colocam obstáculos, que atravessam a rua, os que nos observam com uma perfeita indiferença. Muitos, muitos mesmos não se dão conta de nada. Passam e não vêm . Jesus passa e “vê”. Percebe nossa presença.A minha presença... Vê no coração. Através de desejos e aspirações profundas. Vê não tanto nossos traços fisionômicos ou atitudes de nosso comportamento. Vê a dimensão interior do homem: pensamentos, desejos, afetos, intenções, disponibilidade, propósitos. Vê a pureza do coração. Vê a verdade inteira que há no homem. Ele me vê a mim... Jesus precisa encontrar em nós o homem. É ao homem que ele dirige sua palavra divina
(Transcrito em Lectio divina para cada dia del año 5, Férias del tempo ordinário, Verbo Divino, Estela (Espanha) p.60-61).

Jesus passou na vida de Levi e o chamou. Imediatamente ele o seguiu, esse mal visto cobrador de impostos. Jesus passa e chama os doentes que precisam de médico e não os sadios que pensam ser super-homens e já curados com suas próprias forças.

EVANGELHO DO DIA - Marcos 2,13-17

Jesus saiu de novo para a beira do mar. Toda a multidão ia ao seu encontro. E Jesus os ensinava. Enquanto ia caminhando, Jesus viu Levi, o filho de Alfeu, sentado na coletoria de impostos, e disse para ele: «Siga-me.» Levi se levantou e o seguiu. Mais tarde, Jesus estava comendo na casa de Levi. Havia vários cobradores de impostos e pecadores na mesa com Jesus e seus discípulos; com efeito, eram muitos os que o seguiam. Alguns doutores da Lei, que eram fariseus, viram que Jesus estava comendo com pecadores e cobradores de impostos. Então eles perguntaram aos discípulos: «Por que Jesus come e bebe junto com cobradores de impostos e pecadores?» Jesus ouviu e respondeu: «As pessoas que têm saúde não precisam de médico, mas só as que estão doentes. Eu não vim para chamar justos, e sim pecadores.»