Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

14 de abr de 2010

Caminhos de Deus

Um cruzeiro animado, num navio luxuoso. No roteiro, diversas ilhas do oceano Atlântico. Mas o inesperado: o navio tem problemas e começa a afundar. Após o naufrágio, um sobrevivente fica à deriva no mar, mas agradece a Deus por estar vivo e ter tido forças para se agarrar aos destroços e poder ficar boiando.
Levado pelas ondas foi jogado de um lado para o outro. Sofreu muito, e já estava nas suas últimas energias, quando, horas depois, chegou a uma pequena ilha. A ilha estava desabitada e fora de qualquer rota de navegação, mesmo assim o homem se ajoelhou, olhou para o céu e agradeceu a Deus por ter sobrevivido e estar em terra firme.
Aos poucos foi se acostumando com o lugar, construiu um abrigo com os destroços do navio, encontrou árvores frutíferas, aprendeu a pescar e caçar. A cada dia agradecia por Deus ajudá-lo e ensinar-lhe tantas coisas. Agradecia pelo alimento, pela noite de sono, pela segurança, pela paz de espírito, pela nova vida que estava tendo.
No entanto, quando voltava para seu abrigo, após um dia de caça e exploração da ilha, viu uma grande fogueira. Correu para ver o que estava queimando e descobriu que era a sua casa. As chamas e a fumaça já haviam consumido seu abrigo.
Desesperado por ter perdido seu bem mais preciosos, que garantia proteção e segurança, começou a chorar. Revoltado, gritou xingando a Deus e indagando por que havia feito isto com ele. Chorou tanto que acabou adormecendo.
No dia seguinte, despertou com um apito de navio. Achou que estava sonhando, mas ao se virar viu que algo se aproximava da praia. Era um bote com alguns marinheiros, que disseram:
- Viemos resgatá-lo!
Espantado e feliz, perguntou:
- Como souberam que eu estava aqui?
- Nós vimos o seu sinal de fumaça – responderam prontamente.


Para refletir

Deus age na nossa vida sempre, nos momentos bons e nos difíceis. Não devemos duvidar de sua ação. Muitas vezes não entendemos os caminhos que Ele usa para nos ajudar, mas Ele sempre age em vista do nosso bem, para nos trazer vida e felicidade. Devemos agradecer a Deus por tudo que acontece conosco e de todas as experiências tirar uma lição. Sempre temos algo a aprender, mesmo nas piores ocasiões.

Do Livro "Parábolas de Fé", editora Paulus

ESCLARECER A CLARIDADE

REFLEXÃO DO EVANGELHO

Uma das afirmações mais belas do Novo Testamento encontra-se no evangelho de João, proclamado na liturgia deste dia: “Deus amou tanto o mundo que lhe deu Filho único para que não morra quem nele crer, mas tenha a vida eterna”.

O Filho encarnado é um presente do Pai para que tenham a vida, a vida em plenitude, os que nele crerem. A vida eterna vem da fé naquele que o Pai enviou.

Cristo Jesus, vivo e ressuscitado hoje, coloca-se diante das vidas e dos projetos humanos. Não se impõe. Propõe-se. Hoje, ele não enfrenta mais polêmicas com fariseus, não acolhe mais a prostituta que ia ser apedrejada, não louva o gesto da viúva no templo. Mas ele vive e se apresenta a cada história humana, nas encruzilhadas de seus caminhos. Ele se serve de testemunhas, dos cristãos que carregam sua memória, que se reúnem em seu nome, que devem anunciá-lo até os confins da terra, incansavelmente, descobrindo caminhos novos para que toda a carne veja a salvação que vem de Deus.

Esse é o sentido da missão. Cada pessoa que nasce, cresce e vive é ou pode ser colocada diante dele. Ele vai penetrando no coração dos homens e espera uma resposta.

Ele é luz. Veio da luz e para a luz haveria de voltar. Durante um tempo as trevas pareciam querer derrotá-lo. Com efeito, os que praticam o bem se orientam para a luz. Os praticantes da verdade caminham na direção da luz. O ser humano é mais do que aparece. Não consiste apenas num emaranhado de ações externas colocadas aqui e ali. Ele é profundidade. É coração. E há um nó em cada pessoa, uma profundidade além da profundidade. E nesse espaço mais íntimo que o Senhor Jesus se revela. Quem age segundo a verdade, a verdade pessoal e profunda, se aproxima da luz.

De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele”.

EVANGELHO DO DIA - João 3,16-21

«Pois Deus amou de tal forma o mundo, que entregou o seu Filho único, para que todo o que nele acredita não morra, mas tenha a vida eterna. De fato, Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, e sim para que o mundo seja salvo por meio dele. Quem acredita nele, não está condenado; quem não acredita, já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho único de Deus. O julgamento é este: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque suas ações eram más. Quem pratica o mal, tem ódio da luz, e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam desmascaradas. Mas, quem age conforme à verdade, se aproxima da luz, para que suas ações sejam vistas, porque são feitas como Deus quer.»