Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

4 de mai de 2010

A PAZ DO SENHOR

Os que participam da Eucaristia, um pouco antes da comunhão, gostam de rezar a oração da paz colocada naquele momento que antecede a recepção do Corpo e do Sangue do Senhor. “Senhor Jesus Cristo, dissestes aos vossos apóstolos: Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz”.
Todos buscamos a paz. Não qualquer paz. Não basta apenas uma paz de tranqüilidade, de não se incomodar com nada, de não ser incomodado por ninguém. Não se trata de uma paz pacifista. Pensamos, aqui, nos que são construtores de um mundo de justiça, de entendimento, de colaboração, de perdão, de desarmamento. Paz que começa dentro do coração. Vem à nossa mente as páginas de Isaías. Diriam que as armas de guerra se transformariam em enxadas e foices para a agricultura. Pacíficos são os que se sentam em mesas de negociação para que ninguém saia ferido, nem prejudicado. A paz nasce do respeito pelas diferenças e pela promoção do outro.
Há pessoas que dizem ter pedido a paz. Pensamos em todo esse mundo da violência nas ruas das grandes cidades, assaltos, seqüestros. Uma criança perde a paz quando se dá conta, por exemplo, que seus pais se desentendem. Por vezes, pessoas perdem a paz porque não conseguem o sucesso material que pensavam poder obter. Isso pode incomodar, mas não deve nos fazer perder a paz.
Na verdade, o que nos tira realmente a paz é o dilaceramento provocado em nosso interior pelo pecado. Esse negar de render glórias a Deus nos tira a paz. Existimos para o louvor do Senhor e para louvar o Senhor. Também nos tira a paz o mal que cometemos para com o próximo. Pais que se omitem seriamente na educação dos filhos e verificam que estes foram se degradando, pessoas que buscaram lucros explorando pessoas, omissões que redundaram em sérios prejuízos morais e materiais para os outros, tudo isso nos tira a paz. Ou ao menos deveria tirar.
Por isso, nos textos em que aparece o Senhor ressuscitado, ele oferece a paz aos seus. Junto com a saudação da paz, Jesus confere aos seus apóstolos o poder de perdoar os pecados.
A paz vem da certeza de que, no alto da cruz, foi rasgado um documento que existia contra nós. Dando a vida no alto da cruz, Jesus se tornou nossa paz.
Cabe bem rezar a oração da paz antes da comunhão:
Senhor Jesus Cristo, dissestes aos vossos apóstolos: Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz. Não olheis os nossos pecados, mas a fé que anima a vossa Igreja, dai-lhe segundo o vosso desejo, a paz e a unidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário