Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

27 de mar de 2010

“Antes de o galo cantar, negar-me-ás três vezes”

"Pedro negou uma primeira vez e não chorou, porque o Senhor não o olhou. Negou-o uma segunda vez e não chorou, porque o Senhor ainda não o tinha olhado. Negou-o uma terceira vez, Jesus olhou-o, e ele chorou, amargamente (Lc 22,62). Olha-nos, Senhor Jesus, para que saibamos chorar o nosso pecado. Isto mostra que mesmo a queda dos santos pode ser útil. A negação de Pedro não me fez mal; ao contrário, com o seu arrependimento, eu ganhei: aprendi a defender-me de um ambiente infiel…

Portanto, Pedro chorou, e muito amargamente; chorou para chegar a lavar a sua culpa com as lágrimas. Também vós, se quereis obter o perdão, apagai a vossa falta com as lágrimas; nesse exato momento, nessa mesma hora, Cristo olha-vos. Se vos suceder alguma queda, ele, testemunha presente da vossa vida secreta, olha-vos para vos lembrar e vos fazer confessar os vossos erros. Fazei então como Pedro, que disse noutra ocasião por três vezes: “Senhor, tu sabes que eu te amo” (Jo 21, 15). Ele negou três vezes, três vezes também ele confessa; mas ele negou na noite, e confessa em pleno dia.

Tudo isto está escrito para nos fazer compreender que ninguém se deve vangloriar. Se Pedro caiu por ter dito: “Ainda que todos se escandalizem de Ti, eu nunca me escandalizarei” (Mt 26,33), que outra pessoa estaria no direito de contar consigo próprio?... Donde te chamarei, Pedro, para me ensinares os teus pensamentos quando tu choravas? Do céu onde já tomaste lugar entre os coros dos anjos, ou ainda do túmulo? Porque a morte, da qual o Senhor ressuscitou, não te repugna por seu turno. Ensina-nos em que é que as tuas lágrimas te foram úteis. Mas tu ensinaste-o bem depressa: porque tendo caído antes de chorar, as tuas lágrimas fizeram-te ser escolhido para conduzir outros, tu que, inicialmente, não tinhas sabido conduzir-te a ti mesmo."

A reflexão acima foi feita por Santo Ambrósio (cerca de 340-397), bispo de Milão e doutor da Igreja.

Neste final de tempo quaresmal, tempo em que nós cristãos pecadores somos confrontados com a nossa realidade, temos a possibilidade de analisarmos se, realmente, estamos preparados para o período pascal. Se não, ainda há tempo: façamos como Pedro. Mesmo tendo negado já por diversas vezes a Cristo, olhemos para as chagas dEle, analisemos o que Ele fez por nós. Ele, que acolher ser pregado na cruz, aceitando a crueldade terrível deste tormento, a destruição do Seu corpo e da Sua dignidade. Ele, que, pregado na cruz, sofreu sem fugas nem descontos.
Neste final de quaresma, ti pedimos, Senhor, ajuda-nos a nos ligarmos estreitamente a vós. Ajuda-nos a desmascarar a falsa liberdade que nos quer afastar de vós. Ajuda-nos a aceitar a vossa liberdade "de prisioneiro" e a encontrar nesta estreita ligação convosco a verdadeira liberdade. Ajuda-nos, Senhor, a não vós negar mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário