Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

11 de fev de 2010

A MULHER CAIU AOS PÉS DE JESUS

REFLEXÃO DO EVANGELHO

Jesus abandona as multidões. Dirige-se para regiões fora da Palestina e assim encontra-se com os pagãos. Delicada e terna a cena da perícope deste dia. Uma mulher, uma pagã, nascida na Síria, alguém que não era da raça de Israel ouve falar de Jesus. Ela tem seus problemas e suas dificuldades. Tinha uma filha possuída por um espírito imundo. Os evangelistas, mormente os sinóticos, se comprazem em falar de possessos libertos do demônio pela força de Cristo. Ela caiu aos pés de Jesus. Jesus hesita. Ele não podia tirar o pão da mesa dos de casa... e dar para os cachorrinhos. Tudo isso ouviu a mulher da Fenícia. Ela pertenceria a esse categoria dos cachorrinhos... Ela não se intimida e não muda de idéia. Os cachorrinhos comem as migalhas que as crianças deixam cair no chão... Confiança e humildade se entrelaçam.
A mulher da Fenícia é exemplo para todos. Quaisquer que sejam nossas necessidades na singeleza de nossa amizade com Cristo a ele serão apresentadas. Jesus se apresenta como modelo daquele que acolhe.
Hoje, mais do que nunca, estamos convencidos de que a Igreja precisa ser um espaço de acolhimento. Em primeiro lugar há o acolhimento a ser feito aos nossos. As celebrações, os encontros serão marcados pelo calor de corações que têm alegria de receber os outros.
Isto se manifestará na pastoral da acolhida na missa, no jeito como o padre estabelece contato com os fiéis durante a celebração, acolhida carinhosa para aqueles que vivem “tortamente”.
Hoje se fala da acolhida aos que foram cristãos, receberam o batismo mas por diferentes razões se distanciaram das coisas da fé. Nossos locais paroquiais serão espaço de acolhimento destes para que possam refazer o caminho rumo ao Evangelho.
Há uma situação particularmente delicada na vida da Igreja em nossos dias: o fato de que muitos casados se separaram e se recasaram sem sacramento do matrimônio. Situação extremamente delicada em que verdade e acolhimento precisam ser conjugados. Esses que se recasam, muitas vezes por razoes extremamente delicadas, continuam membros da Igreja, tem o direito de participar da liturgia, mesmo sem comungar. Os filhos que colocam no mundo precisam ser educados segundo os princípios da fé cristã.
Os cristãos são pessoas abertas a todos, de modo especial aos que mais sofrem.
Jesus atendeu o pedido da siro-fenícia que caiu aos seus pés.

Nenhum comentário:

Postar um comentário