Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

30 de mai de 2010

O INSONDÁVEL MISTÉRIO DA TRINDADE

Santíssima Trindade : Festa de Deus! Insondável abismo de Deus! Um Deus em três pessoas distintas. Um Deus indizível. Não pode ser dito, mas simplesmente adorado. Festa de louvor, de alegria e de adoração.

Ele, o Altíssimo, é aquele pelo qual nosso coração anseia. Para além do que podemos ver, ouvir, sentir há Alguém. Chamamo-lo de Tu, Numinoso, Deus, Altíssimo, Todo Outro, Insondável, aquele que mora numa luz inacessível. Sempre buscado, nunca alcançado. Não se pode ver a Deus sem morrer, diz a Escritura. Moisés, diante de um arbusto que ardia, compreende que ali há uma presença diferente. O arbusto que ardia, o fogo que podia queimar. Deus do fogo e do ardor. Moisés é convidado a tirar suas sandálias porque aquela era uma terra santa, com a presença dele. E o seu nome era: Eu sou o que sou. Isaías faz uma experiência de Deus no templo. Majestoso, o Senhor, estava sentado no trono cercado dos serafins. E o profeta compreende que ele é o santo, três vezes santo, um Deus santíssimo. Precisa purificar os lábios com um carvão ardente. Elias, por sua vez, desalentado, busca refúgio na caverna. Lá faz ele também uma experiência de Deus. Na subida do Horeb aparece pão e um jarro de água para aquele que se sentia desalentado. Na caverna, num determinado momento, há uma brisa suave e Elias cobre o rosto porque o Senhor passa. Nós catamos o Amado, buscamos aquele que pode encher de profunda felicidade esse nosso irrequieto coração.

Jesus é o grande revelador , do Pai que mora numa luz inacessível e do Espírito. Jesus fala muito do Pai, que ele conhece, do qual ele vem, igual a ele. Fala do Pai que o ama, que não o larga, do qual ele quer sempre fazer a vontade.

Ele mesmo, totalmente homem, tem o rosto iluminado na montanha da transfiguração. Insiste em dizer que ele o Pai são um. Quem o vê, vê o Pai. Os dois, o ele e o Pai, haverão de enviar o Paráclito que procede de um e de outro. Pai, Filho e Espírito Santo.

O ensinamento sobre a Trindade aparece claramente no Prefácio da Solenidade: Com vosso Filho único e o Espírito Santo, sois um só Deus e um só Senhor. Não uma única pessoa, mas três pessoas num só Deus. Tudo o que revelastes e nós cremos a respeito da vossa glória atribuímos igualmente ao Filho e ao Espírito Santo. E, proclamando que sois o Deus eterno e verdadeiro, adoramos cada uma das pessoas, na mesma natureza e igual majestade.

O Pai não é gerado. É eternamente Pai. O Verbo, o Filho, é eternamente gerado. Na plenitude dos tempos, o Verbo se faz carne em Maria. O Verbo tem uma missão para fora da Trindade. A Trindade vem ao encontro do homem… A fornalha de amor que é a Trindade se difunde. O amor, o laço entre o Filho e o Pai é tão forte que é o Espírito. Este também, depois da obra do Filho, tem uma missão ad extra. Falamos da ação do Espírito que continua a obra de Cristo.

Somos batizados na Trindade, fazemos o sinal da cruz com os nomes das três pessoas, todas as orações oficiais da Igreja se fazem em nome da Trindade.

O Pai nos ama, o Filho nos redimiu e o Espírito foi derramado em nossos corações.

Fonte: www.franciscanos.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário