Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

24 de fev de 2010

JONAS, A RAINHA DO SUL E O FILHO DO HOMEM

REFLEXÃO DO EVANGELHO

A pregação de Jonas tocou profundamente o coração dos habitantes de Nínive. O rei da cidade colocou de lado o manto real e vestiu-se de saco e sentou-se sobre cinza. Fez penitência. A fala de Jesus, segundo Lucas, não estava encontrando eco no coração de seus ouvintes. Ao contrário, havia mesmo séria resistência e um fechamento do coração. São João Crisóstomo, um dos escritores mais profundos do período da Patrística comenta com sabedoria a página de Lucas hoje proclamada. Extraímos do texto do Padre alguns tópicos.
Jesus afirma que, no dia do juízo os habitantes de Nínive haveriam de se levantar contra a geração incrédula que estava diante do Mestre. E, segundo o Crisóstomo, assim poderia ter falado Jesus: “Jonas, na verdade, era apenas um servo, mas eu sou o Senhor; ele saiu do ventre do monstro marinho, eu ressurgi da morte; ele pregou a ruína, eu vim anunciar o reino dos céus. Os ninivitas lhe deram crédito, sem nenhum sinal visível, eu, porém mostrei muitos sinais. Eles ouviram de Jonas somente palavras, eu, no entanto, não revelei nenhuma pseudo-filosofia. Jonas não era senão um enviado, eu, no entanto, vim como Mestre e Senhor de todas as coisas, sem ameaças, sem reprimendas, mas com a oferta do perdão”.
O texto nos fala de um certo lamento de Jesus. Sente-se abandonado por aqueles que o deveriam ter rececido.
Mais adiante, em sua bela meditação, João Crisóstomo, tece considerações a respeito da postura da rainha do Sul que veio de longe para ouvir a sabedoria de Salomão. E eis Jesus, maior do que Salomão, mas rejeitado. “Jonas dirigiu-se aos ninivitas. A rainha do sul não esperou a vinda de Salomão, mas ela própria foi ao seu encontro, apesar de mulher e de estrangeira, sem considerar a grande distância. A isso não a impeliram perigos ameaçadores nem o temor da morte, mas tão somente um grande amor pelas palavras de sabedoria. E aqui está quem é maior do que Salomão. Outrora veio uma mulher. Agora sou eu que venho. Ela partiu dos confins da terra. Eu percorro cidades e aldeias. Salomão dissertava sobre árvores e plantas, o que não lhe podia ser de grande utilidade: eu vos falo de coisas inefáveis e de grandiosos mistérios."

Nenhum comentário:

Postar um comentário