Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

4 de fev de 2010

Homem precisa do amor que só Deus pode dar, diz Bento XVI

"Aquilo de que o homem mais precisa não lhe pode ser garantido por lei. Para gozar de uma existência em plenitude, precisa de algo mais íntimo, que lhe pode ser concedido somente gratuitamente: poderíamos dizer que o homem vive daquele amor que só Deus lhe pode comunicar, tendo-o criado à sua imagem e semelhança".
Bento XVI faz essa reflexão em sua Mensagem para a Quaresma deste ano, que tem como tema "A justiça de Deus está manifestada mediante a fé em Jesus Cristo" (Rom 3, 21–22).
O texto foi divulgado na manhã desta quarta-feira, 4, durante uma coletiva de imprensa realizada no Vaticano. Participaram do evento o presidente do Pontifício Conselho Cor Unum, Cardeal Paul Josef Cordes, o presidente emérito do Parlamento europeu e Presidente da Fundação Konrad Adenauer, professor Hans-Gert Pöttering, e o vice-secretário do Pontifício Conselho Cor Unum, monsenhor Giampietro Dal Toso.
Justiça
O Papa explica que o homem é permanentemente tentado a colocar as origens da injustiça em causas exteriores. "Esta maneira de pensar - admoesta Jesus – é ingênua e míope", destaca.
Bento XVI deixa claro que "a injustiça, fruto do mal, não tem raízes exclusivamente externas; tem origem no coração do homem, onde se encontram os germes de uma misteriosa conivência com o mal".
A autossuficiência seria a própria origem da injustiça e o principal obstáculo para que o homem possa entrar na justiça de Deus. "Qual é, portanto, a justiça de Cristo?", questiona o Pontífice. "É, antes de mais nada, a justiça que vem da graça, onde não é o homem que repara, que cura a si mesmo e os outros", responde.
Conversão
Bento XVI salienta que a verdadeira conversão é "sair da ilusão da autossuficiência para descobrir e aceitar a própria indigência – indigência dos outros e de Deus, exigência do seu perdão e da sua amizade".
O Santo Padre conclui a mensagem ensinando que "o cristão é levado a contribuir para a formação de sociedades justas, onde todos recebem o necessário para viver segundo a própria dignidade de homem e onde a justiça é vivificada pelo amor".

Fonte: ww.cancaonova.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário