Os textos e fotografias produzidos pela equipe da PASCOM da Paróquia São José – C. dos Dantas podem ser livremente utilizados, mencionando-se o blog http://www.montedogalo2009.blogspot.com/ como fonte

22 de jan de 2010

DOS QUE FORAM CHAMADOS PARA SEREM ENVIADOS

REFLEXÃO DO EVANGELHO - Marcos 3,13-19

Um dos temas fundamentais do Novo Testamento é o da vocação daqueles que foram chamados a viver intimidade com Cristo para depois serem enviados. Nós os designamos de apóstolos. A Conferência de Aparecida fala de discípulos missionários. O texto do evangelho de hoje nos faz pensar de modo especial, nos bispos e sacerdotes, mas alargamos o horizonte e incluímos todos os batizados, porque o cristão é sempre um convocado para a ação. Pelo testemunho e pela palavra são enviados, agem na continuação do agir de Cristo. Que missão mais nobre e mais importante do que esta?
São curiosas algumas observações de Marcos. O evangelista empresta solenidade ao momento. Jesus sobe a um monte, ou seja, espaço típico de maior proximidade com Deus. Chama a todos com liberdade absoluta. Chama quem quer. “E eles foram até ele”. Ou seja, responderam o chamado. A iniciativa, porém, foi de Cristo.
Na parte central do texto vem descrita a identidade dessa nova comunidade. “Então Jesus designou doze, para que ficassem com ele e para enviá-los a pregar com autoridade para expulsar demônios”. Há dois momentos: estar com o Senhor, privar da intimidade do Senhor e depois serem enviados. Esta será sempre a norma dos que agem em nome de Cristo. Haverão eles de estar com o Senhor no silêncio da consciência, na leitura do Evangelho, na oração de intimidade, na vivência gozosa em fraternidade. Assim forjados, serão enviados.
A Igreja toda tem a mesma dinâmica. Há um momento do estar junto, partilhar a Palavra, comer o pão, tempo do ”vede como eles se amam”. E depois é o ir pelo mundo e tentar expulsar o mal das engrenagens deste mesmo mundo que foi amado pelo Mestre e pelo qual ele deu a própria vida.
Apóstolos que são enviados! Estamos num tempo de urgente evangelização. Um biógrafo de Francisco de Assis (sec. XX) fala da urgência da evangelização naquele tempo e nos nossos tempos: “Neste mundo de mutação elevam-se pungentes apelos humanos, algumas vezes angustiantes: apelos de mais tolerância e liberdade, de mais justiça, de mais participação nas decisões e nas responsabilidades, desejo de paz garantida pelo respeito dos direitos do homem e dos povos... Hoje, como no tempo de Francisco, estes apelos partem do coração dos pobres e dos pequenos. Constituem o grito de todos os famintos e dos oprimidos de todos os lados. Homens e mulheres carregam , em sua carne ferida e em sua dignidade desrespeitada, as verdadeiras ânsias do homem e o segredo do mundo futuro” (Éloi Leclerc, Francisco de Assis. O Retorno ao Evangelho, Vozes/CEFEPAL, 1983, Petropolis, p. 127)

Nenhum comentário:

Postar um comentário